Sabe tudo sobre gastrite?

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), mais de 2 milhões de pessoas no mundo sofrem de gastrite. A gastrite é uma inflamação das paredes do estômago que pode produzir sintomas, como dor de estômago, indigestão e arrotos frequentes.

Existem múltiplos fatores que desenvolvem a inflamação nas paredes do estômago. Pode ser originada pela bactéria Helicobacter pylori, causando infeção e destruição do revestimento do estômago; pelo uso frequente de anti-inflamatórios; abuso do álcool. Igualmente pode ter origem na descarga da bílis no duodeno que reflui para o estômago. Também pode surgir pelo stress e nervosismo.

Antes de fazer qualquer tratamento, seja seletivo no
que pensa e no que sente.

Dois tipos de gastrite

Existem dois tipos de gastrite: a aguda e a crónica. A primeira surge de modo inesperado e forte. Na segunda, ocorre com a bactéria Helicobacter pylori. Trata-se de uma das infeções mais frequentes no mundo, atingindo 80% da população mundial. Quem mais sofre de gastrite também a tem, pelo que a sua eliminação, através de antibióticos ajuda no tratamento e alívio dos sintomas.

Quando surgem sintomas de gastrite, devemos ir ao gastroenterologista para que faça uma endoscopia para visualizar as paredes internas do estômago e verificar se há presença da bactéria Helicobacter Pylori. A H. Pylori é uma bactéria que se hospeda no estômago ou intestino, danificando a barreira protetora e que estimula a inflamação. Pode provocar sintomas como dor e queimação abdominal, além de aumentar o risco para o desenvolvimento de úlceras e cancro. A infeção pela bactéria é muito comum. Existem indícios de que se transmite através da saliva ou do contacto oral com água e alimentos que, por sua vez, contactaram com fezes contaminadas. Entretanto, a sua transmissão ainda não foi totalmente esclarecida. Assim, para prevenir esta infeção é muito importante ter cuidados com a higiene, como lavar as mãos antes de comer e após ir à casa de banho, além de evitar partilhar talheres e copos sem estarem devidamente desinfetados.

Sintomas da doença

• Indigestão (sensação que os alimentos estão no estômago durante muito tempo);
• Náuseas e vómitos;
• Dor de cabeça;
• Sensação que o estômago “queima”;
• Queimação na garganta, como uma bola de fogo que sobe e desce entre o estômago e a garganta (azia);
• Arrotos frequentes.

Reiki com carácter preventivo e terapêutico

Antes de fazer qualquer tratamento, seja seletivo no que pensa e no que sente. Da mesma forma que pode escolher ingerir alimentos apetitosos e saudáveis, também tem a capacidade de, na hora da refeição, colocar de lado todos os pensamentos e sentimentos que o apoquentam. Coma apenas os alimentos.

De acordo com a metafísica, podemos associar a gastrite às incertezas, assim como à necessidade de ser compreendido, amado, confortado e ajudado. O segredo é agir por si mesmo. Afinal, a vida é sua e ninguém irá substituí-lo nas suas vivências. Quando há gastrite existe um excesso de pensamentos e angústias que “remoem no estômago”. O problema não está na gastrite, mas sim no modo como vive a sua vida, como encara o erro e expressa as suas ideias, a falta de exercício físico, a escolha errada de alimentos, mas principalmente a maneira como os degusta. Então, relaxe e desfrute de todas as realizações na vida e, sobretudo, não permita que exijam demasiado de si.

O excesso de rigor que tem para consigo mesmo, o perfecionismo, traz ainda mais medo, insegurança, desproteção e angústia. Reconheça os seus méritos e que é bom o suficiente. Perca o hábito de que tudo tem de dar certo à primeira. O sucesso é o resultado de muitos fracassos tentados, melhorados e corrigidos. Para transformar os sentimentos e pensamentos alojados no inconsciente, recomendo que receba Reiki pelo menos duas vezes por semana, durante o primeiro mês.

A energia irá, de forma natural, incidir nos chacras que absorveram o medo, a insegurança, o stress e o perfecionismo, purificando-os. Começará a sentir melhorias a partir da sexta sessão. Se tiver formação de Reiki Nível Dois pode aprofundar a transformação dos sentimentos e pensamentos, aplicando os símbolos Hon-Sha-Ze-Sho-Nen, Sei-Hei-Ki e Cho-Ku-Rei acompanhados com a Linha da Hara no estômago e intestinos, e imposição das mãos na coroa, garganta, coração, fígado e rins. Faça este tratamento pelo menos uma vez por dia para trazer confiança, serenidade e sentimentos de que está protegido na vida.

Existe cura?

A gastrite tem cura, mas terá de mudar alguns hábitos alimentares. É importante tomar algum protetor gástrico e um calmante para o estômago para diminuir a acidez do estômago, proteger a mucosa inflamada e diminuir a dor. A gastrite nervosa é uma inflamação no estômago provocada ou influenciada por questões emocionais, como estados de stress, ansiedade ou nervosismo, que ataca principalmente jovens mulheres. Os sintomas são semelhantes aos da gastrite clássica, assim como a forma de tratamento, mas neste caso é essencial que o indivíduo saiba manter-se calmo para evitar a recorrência da doença.

Alimentos inimigos e aliados da gastrite

É recomendado que faça uma boa alimentação, evitando alimentos que estimulem a motilidade gástrica e a produção de ácido clorídrico, tais como café, chá preto, refrigerantes, bebidas alcoólicas, alimentos gordurosos, vegetais crus, molhos (mostarda ou ketchup), condimentos (caril ou pimenta), fritos e chocolate. Os alimentos mais indicados são os legumes cozidos em água e sal e as carnes grelhadas, temperadas com sal, um pouco de alho e azeite. O consumo de álcool deve ser reduzido e evitado durante as crises de gastrite nervosa. Outro conselho é não se deitar após as refeições e evitar líquidos durante as refeições. Quando for descansar lembre-se de se deitar com o lado esquerdo para o colchão, pois não dificulta a normal digestão. Uma forma de suavizar e tratar a gastrite é beber sumo de batata crua. A água de coco é muito benéfica. Pode beber um copo duas vezes por dia. Deve também incluir na alimentação mamão, melão, couve e repolho.

Alimentos proibidos

• Carnes processadas: presunto, salame, mortadela, bacon, linguiça, chouriço;
• Queijos;
• Molhos;
• Temperos em cubos;
• Comida pronta: congelada ou fast food;
• Bebidas: alcoólicas, refrigerantes, chá preto ou verde, café;
• Açúcar e doces no geral;
• Alimentos refinados e frituras: bolos, pães brancos, salgados, biscoitos, bolachas;
• Alimentos ricos em gordura.

Alimentos permitidos

• Frutas. Deve evitar as frutas ácidas como limão, laranja e abacaxi, no caso de aparecer refluxo ou dor ao consumir estes alimentos;
• Legumes, preferencialmente cozidos;
• Carne branca ou peixe, preferencialmente cozidos ou grelhados;
• Bebidas de amêndoa, arroz ou soja, ou leite sem lactose;
• Grãos integrais: arroz integral, pão integral, massa integral;
• Chás, exceto chá verde ou preto;
• Temperos naturais: ervas finas, cebola, salsa, coentro, sal, gengibre.

Aqui pode aceder aos artigos escritos pelo autores Joel Reis e Nuno Cardoso, fundadores da Brighid Terapias Integrativas.
Direitos de autor protegidos pela lei internacional. Caso deseje copiar algum dos textos por favor indique este website. Em caso de descobrir textos deste site que tenham sido copiados, e não tenham a sua origem no final, faça o favor de nos contactar para o e-mail geral@brighid.pt

Deixar resposta

O seu endereço de email não será publicado.