Como o pensamento influencia o ser humano?

Todos nós somos criadores de pensamentos. Como dizia o filósofo René Descartes: “Penso, logo existo”. Este filósofo defendia que era através da dúvida que o pensamento surgia, somente pela dúvida já estaria a pensar e, por isso, haveria uma verdade incontestável, a sua própria existência.

Falar do pensamento requer conhecimento sobre o funcionamento do nosso cérebro, da nossa mente. Mas afinal o que é a mente? E de que forma os nossos pensamentos influenciam o que somos? Estas são algumas questões que serão respondidas pela leitura deste artigo. Vamos por partes.

A mente manifesta-se através do cérebro. Existe uma função vital entre a mente e o cérebro, eles interagem, e o que afeta um, afeta o outro também. Com os avanços tecnológicos é possível ver o funcionamento do cérebro. A cada dia, a neurociência faz descobertas fascinantes para a compreensão da mente. Os investigadores têm conseguido compreender como se processam as emoções, a cognição, o pensamento, o raciocínio e até mesmo a origem de algumas doenças.

O indivíduo possui a mente consciente, a mente subconsciente e a mente inconsciente que são fundamentais para a formação dos nossos pensamentos, comportamentos e resultados. A mente consciente comanda, forma as decisões, as iniciativas, as seleções e determina a execução. É a sede da razão e da vontade.

A mente subconsciente está por baixo da consciência e é facilmente acessível através de algum esforço seu. Por exemplo, a informação do seu código postal ou do seu número de telemóvel estão memorizadas no seu subconsciente, mas não estão no consciente. Se pensar com esforço, conseguirá lembrar-se desses números que precisa, mas não tem um acesso direto a eles, como no caso da memória consciente. Para aceder a um dos números precisa dar toda a sua atenção para a memória até lembrar-se.

Todas as lembranças que consegue ter de forma direta e que não requerem foco ou atenção, estão na sua memória consciente. Já quando alguém lhe pergunta o que deseja para o futuro, precisará de ter acesso ao seu subconsciente para responder.

A mente inconsciente regista as informações que nos passaram mas que estão reprimidas, não sendo fácil trazê-las à mente consciente. Estas podem ser provenientes de traumas ou até mesmo memórias, pensamentos simples, crenças, padrões, desejos e impressões. Para Freud, este tipo de pensamentos pode desencadear doenças, problemas mentais, neuroses e uma série de questões.

O ser humano não consegue agir de forma contrária ao que tem registado, se o fizer, estará a mascarar o seu próprio estado de ser e de estar, a sua personalidade, originando um desequilíbrio no seu estado psicológico.

Percebendo isto, torna-se mais fácil saber a origem daquilo que temos de transformar, não mascarando a nossa personalidade.
Se o indivíduo sabe o que tem para fazer mas não consegue, ou se sabe que faz algo contrariamente daquilo que acredita, entra num estado de insatisfação e de indignação pessoal, que o levará a um estado mental, físico e emocional de confusão, desorganização e desequilíbrio.

Já reparou que tudo começa por um pensamento? Se eu pedir para pensar em compras, certamente, a sua mente irá buscar imagens e sensações que o seu subconsciente guardou. Essas imagens podem ser de produtos alimentares, pessoas, locais, livros, roupa macia, entre outros exemplos.

Os momentos que vivenciamos com alegria começam nos pensamentos que temos sobre a vida, sobre os acontecimentos, sobre nós mesmos e sobre os outros. Assim também acontece com aquilo que para nós é negativo, como as tristezas, que se iniciam no pensamento. Estes pensamentos são criados por nós e pelos quais somos responsáveis.

Aquilo que pensamos de forma repetida só desperta mais energia sobre nós, estamos a admitir que aquilo é importante e, por isso, exerce um forte impacto em nós.
E pode perguntar o leitor: como mudar os pensamentos negativos? É uma tarefa desafiadora, mas se gosta de desafios, este é um que dá para ser realizado com grande êxito quando há vontade e dedicação.

Recomendo que comece a dar maior atenção na forma como vê as coisas. Olhe para as coisas numa perspetiva diferente, pode chamar-lhe de lado positivo ou, simplesmente, como uma nova oportunidade de crescimento e de experiência. Ao longo da vida, deveríamos aprender a gostar de alguns desconfortos, o desconforto obriga-nos a questionar, e quando questionamos estamos a pensar e o pensamento propicia-nos à aprendizagem.

Vou dar um exemplo, um jovem de 25 anos, cheio de alegria e vitalidade, numa consulta de rotina no médico sabe que apresenta sintomas de tiroide. O pensamento “estou doente” começa a permanecer na sua mente. A partir de então, o jovem começa a sentir-se mal, a desanimar e a ficar sem vitalidade. Isto porque preferiu ficar no mesmo conforto que estava. A força do pensamento negativo começa a causar retaliações. O contrário aconteceria se o jovem pensasse que poderia melhorar após saber daquela notícia, fazendo algo, e assim começaria a sentir-se melhor.

A maior parte das doenças tem origem com um pensamento, tanto as doenças físicas quanto as doenças psicológicas. Esse pensamento, quando se torna muito repetitivo e perturbador, causará cansaço, dores de cabeça, alergias, infeções, etc.

O sábio Buda já dizia: “O que somos é consequência do que pensamos”. Não é possível eliminar o pensamento, pois o pensamento é uma qualidade do ser humano, mas temos a capacidade de controlar os nossos pensamentos, se o fizermos diariamente, focando-nos em pensamentos positivos, certamente iremos sentir-nos bem. Onde está a nossa atenção está, também, a nossa energia. O controlo desta energia é feito através dos pensamentos e dos sentimentos que temos connosco.

Durante toda a nossa vida recebemos energia do cosmo, da alimentação, da respiração, do sono e da irradiação das outras pessoas, e para elas irradiamos energia que geramos. Esta energia, pode influenciar positivamente ou negativamente alguém, sendo necessário vigiar os nossos sentimentos e pensamentos.

Como referi anteriormente, nós possuímos mente consciente, mente subconsciente e mente inconsciente, é por isso que não podemos olhar para ela de forma separada. O nosso corpo reage aos estímulos da nossa mente, assim como a mente reage aos estímulos do corpo. Precisamos de pensamentos que nos estimulem a praticar exercício e ao fazer atividade física conseguimos ter uma mente sã.

Se o nosso cérebro não tem nenhuma deficiência genética, então, temos capacidade para criar bons pensamentos. Nós até podemos controlar os nossos pensamentos negativos, aqueles que estão alojados na mente consciente, mas o maior problema são os pensamentos negativos que estão na mente subconsciente e, pior ainda, os problemas que estão na mente inconsciente, como não estamos cientes deles, torna-se difícil mudá-los, compreendê-los ou eliminá-los.

Se eu lhe pedir para descrever qual foi o pior dia da sua vida, certamente, não irá descrever o pior, mas irá buscar ao seu subconsciente um dia que foi muito mau. Isso porque é capaz de encontrar na sua memória fatos negativos que lhe aconteceram, mas, certamente, o pior dia da sua vida está no seu inconsciente, o dia que realmente foi traumático para si e que a sua mente bloqueou ou reprimiu.

De acordo com Freud, uma das diferenças entre inconsciente e o subconsciente é que o inconsciente trabalha como um mecanismo de proteção sobre a nossa mente. Até pode encontrar o pior dia da sua vida, mas precisará de terapia para ter acesso às camadas profundas da sua mente e que estão escondidas num lugar distante do seu consciente e subconsciente.

É precisamente aqui que a cura pelo Reiki entra. Os praticantes de Reiki aprendem técnicas necessárias para que a energia seja guiada de uma forma natural (a energia “sabe” exatamente onde ir) e como responder às restrições no corpo humano. O Reiki purifica os pensamentos e sentimentos negativos, independentemente de ter consciência deles ou não, melhorando o nosso estado físico, emocional e mental. Transformando-nos.

Aqui pode aceder aos artigos escritos pelo autores Joel Reis e Nuno Cardoso, fundadores da Brighid Terapias Integrativas. Direitos de autor protegidos pela lei internacional. Caso deseje copiar algum dos textos por favor indique este website. Em caso de descobrir textos deste site que tenham sido copiados, e não tenham a sua origem no final, faça o favor de nos contactar para o e-mail geral@brighid.pt

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.